Visualize a cena: Você, com uma prancha embaixo do braço ou fincada no solo, observando o mar há horas e aguardando pela possibilidade de encontrar a onda perfeita. Não, eu não sou surfista e não tenho noção alguma do esporte (perdoem-me por isso). Só achei a imagem ilustrativa o suficiente para o que pretendo escrever a seguir (liberdade poética? :-) ).

Há uma diferença tênue entre “à espera da onda perfeita” e “em busca da onda perfeita”. Enquanto a primeira frase transmite a idéia de algo estático, no qual somente paramos e aguardamos, a segunda transmite a idéia de dinamismo, de que estamos nos movendo para alcançarmos o nosso objetivo, de que estamos surfando até encontrarmos A onda.

Em um dos livros sobre investimento em ações (ou renda variável em geral), há menção a algo semelhante. Chama-se “Paralisia Analítica”. Acontece quando você já estudou o suficiente, já aprendeu e “treinou” o bastante, já tem um plano de ação contendo o que fará, quais os possíveis problemas e alternativas, mas não consegue dar o primeiro passo. Simplesmente não consegue passar da fase do planejamento para a da execução por temer o que possa vir a acontecer. Acha que precisa investigar mais, observar mais ou esperar mais para ter sucesso.

Isso nunca aconteceu com você em relação à nada em sua vida? Quando você sonha, sonha, sonha ou planeja, planeja, planeja, mas nunca se move para realizar esse sonho ou alcançar esse objetivo? Não estaria você à espera da onda perfeita? Pois comigo isso acontece com maior frequência do que eu gostaria. O que ainda me faz lembrar de um trecho de certa música de John Lennon: “Life is what happens to you while you’re busy making other plans” (ou “Vida é o que acontece a você enquanto você está ocupado fazendo outros planos”).

É claro que temos o total oposto: Aquele que se atira em tudo sem o menor preparo. O que não procurou se informar sobre as praias com as melhores ondas. É o que surfaria até em um balde de água, se deixassem ;-) Não sabe se o mercado está em alta, em baixa, o que é uma ordem de stop loss ou como se comportaria de o mercado ficasse contra ele. “Tolo é aquele que naufragou seus navios duas vezes e continua culpando o mar” — Publilius Syrus.

Como tudo na vida, imagino que haja um meio termo. Algum ponto de equilíbrio entre a espera e a busca, entre a análise e a execução, entre sonhar e viver.