Como aceitar e se incomodar sobre o mesmo aspecto, ao mesmo tempo?

A natureza da aceitação é não causar incomodação e, sem incomodação, sem inquietação, não há mudança.

Então, como nós, na nossa limitada condição humana, queremos aceitar algo e mudar sobre aquilo?

Talvez, esta seja apenas mais uma das nossas várias contraditoriedades. Talvez, o simples reconhecimento desta contraditoriedade seja o suficiente.

O que me faz pensar: – Onde está a felicidade? Na aceitação ou na incomodação?

Para quem procura respostas, a felicidade está em encontrá-las ou na busca em si e na aceitação (inconsciente) de que nunca as encontrará ou de que sempre terá mais perguntas?

E, ao pensar em tudo isto, recordo-me da frase “Quanto mais eu mudo, mais eu continuo o mesmo” e rio das minhas próprias contraditoriedades :-)