Viver em dúvida, mas viver apesar da dúvida.

Todos temos nossos medos e inseguranças. Aquela vozinha de fundo, dizendo coisas do tipo “E se eu falhar?”, “E se eu estiver errado?”, “E se não der certo?”, “O que os outros vão pensar?”, “Farei papel de ridículo?”, “Terei desperdiçado boa parte da vida?”, …

Não vou mentir e dizer que é fácil vencer essa voz. Nem sempre é. Às vezes, você tem que brigar por cada milímetro, cada palmo de coragem.

Mas eu não vou viver no medo. E é isso que eu digo, aos berros, para mim mesmo. Eu me recuso a viver no medo. Porque aconteça o que acontecer, se eu sair desta vida amanhã, eu quero olhar para trás e sentir orgulho de tê-la vivido da forma mais corajosa que pude.